Carregando aguarde...
Itapira, 05 de Abril de 2020
Notícia
05/07/2015 | Ocorrência Policial

Falso médico também atuou no Hospital Municipal

 O médico Gustavo Fonseca dos Santos, 30, investigado por falsida­de ideológica e exercício legal da medicina depois de atuar na Santa Casa de Mogi Mirim, também teria dado plantões em Itapira e em Mogi Guaçu. Formado na Bolívia, ele não tinha autorização para atuar no Brasil.

Segundo o delegado que investiga o caso, Luiz Roberto Janini Ortiz, o mé­dico usou um registro de CRM (Conselho Regional de Medicina) de outro mé­dico, com nome idêntico, que atua em São Paulo e nunca trabalhou em Mogi Mirim e na região. “Ele se formou em Medicina na Universidade da Bolí­via, em Santa Cruz de La Sierra, e queria exercer a função no Brasil. Então, procurou um profissio­nal com o mesmo nome na internet e passou a usar seu respectivo CRM”, disse o delegado após o depoimento do acusado, ocorrido na tarde desta quinta-feira, 2, em Mogi Mirim.

O médico começou a ser investigado após a morte de um homem por dengue hemorrágica em março passado, atendido por ele na Santa Casa de Mogi. Mesmo sem com­provar que possuía au­torização para exercer a medicina, Santos foi contratado para atuar na Santa Casa mogimiriana em novembro de 2014. Ele era terceirizado de uma empresa, cujo nome ainda não foi divulgado. Segundo o delegado, o médico disse, em depoi­mento, que também deu plantão em Itapira e em Mogi Guaçu, além de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) de Mogi Mirim.

A Polícia Civil instau­rou dois inquéritos, um por falsidade ideológica e outro por exercício ilegal da medicina. O médico proprietário do CRM usa­do por Santos também registrou boletim de ocor­rência em Mogi Mirim. O acusado, que responde ao processo em liberdade, não falou com a imprensa. Em nota (veja ao lado) a Secretaria Municipal de Saúde de Itapira confirmou que realmente o médico atuou na cidade através de empresa terceirizada.

 Servente mantinha 177 tabletes de maconha em sua residência

Cento e setenta e sete tabletes de maconha fo­ram encontrados por cabo Emerson e soldado Pascho­alin por volta das 11 horas de terça-feira em uma resi­dência da rua Embaixador Pedro de Toledo, região central. O proprietário das drogas, que pesaram 116 gramas, era o servente Henrique Pereira, 27 anos, conhecido como TInão.

Os policiais, contando com apoio da GM, forma­dos por Cássio e Adelbar, chegaram até o servente através de denúncia anôni­ma dando conta que Tinão era procurado pela Justiça. O endereço do acusado foi passado e diligências foram realizadas.

Chegando ao imóvel os policiais encontraram Tinão, que franqueou a entrada dos mesmos. No interior dacasa, o servente foi questionado sobre a existência de entorpecen­tes na casa. Tinão apontou um armário na cozinha. Ao verificarem o compar­timento PMs e Gms loca­lizaram um pote com os 177 tabletes de maconha que foram apresentados à escrivã Luíza. Através da pesquisa, realmente ficou constatado que Tinão era procurado pela Justi­ça de Jaguariúna. Porém, com o encontro da grande quantidade de maconha, o delegado Fernando Zu­carelli autuou o servente que responderá por mais esse crime.

GM encontram crack e cocaína na Vila Ilze

Por volta das 20 horas de domingo os GMs De Lima e Azevedo realizavam patru­lhamento pela região da Vila Ilze quando, ao chegarem no cruzamento das ruas Itália e Rússia, se depararam com dois indivíduos em atitudes suspeitas. Percebendo a viatura um deles correu e o outro passou a caminhar. Este, no entanto foi abordado e identificado com sendo o desempregado L.C.L., 22 anos. Ao ser revistado em seu poder estavam R$ 157 em dinheiro.

Os GMs retornaram ao ponto onde o jovem se en­cotrava e, debaixo de uma pedra, encontraram três pedras de crack. No trajeto percorrido por L. havia cin­co flaconetes com cocaína espalhados pela calçada.

Apresentado ao escrivão Luis Cláudio, o desempregado argumentou que as drogas encontradas não eram de sua propriedade e informou que antes de ser abordado conversava com um me­nor, que desapareceu. L. foi liberado enquanto que o crack e a cocaína foram apreendidos.

Soldador fica a pé em supermercado

Ao se deslocar até um supermercado situado a rua Soldado Constitucio­nalista, no Jardim Soares, na manhã de segunda­-feira, o soldador Celso Roberto Ferrareis, de 41 anos, o fez com sua bicicle­ta GT super Aluminium 21 marchas, preta e grafite. Ele deixou o veículo no pátio do estabelecimento e poucos minutos depois, notou que desconhecido,  agindo sem atrair sus­peitas apoderou-se da bicicleta e desapareceu com a mesma. Ferrareis compareceu ao plantão policial e registrou o ocor­rido.

Fonte: Da Redação do PCI

Comentários, artigos e outras opiniões de colaboradores e articulistas não refletem necessariamente o pensamento do site, sendo de única e total responsabilidade de seus autores.

Veja Também
Deixe seu Comentário
(não ficará visível no site)
* Máx 250 caracteres

* Todos os campos são de preenchimento obrigatório

529 visitantes online
O Canal de Vídeo do Portal Cidade de Itapira

Classificados
2005-2020 | Portal Cidade de Itapira
® Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste portal sem prévia autorização.
Desenvolvido e mantido por: Softvideo produções