Carregando aguarde...
Itapira, 12 de Julho de 2020
Notícia
25/07/2015 | Ocorrência Policial

Acidente na SP 147 mata administrador de empresas

Um acidente ocorri­do por volta das 2h55 de domingo, defronte a entrada do bairro Ponte Preta, tirou a vida do ad­ministrador de empresas Ricardo Aparecido da Silva Cardoso, 31 anos, morador em Monte Sião­-MG. Os policiais rodovi­ários Zoubaref e Matos, mais os GMs Donisete e Negro, foram comu­nicados e atenderam a ocorrência, preservando o local até a chegada de uma equipe do IC (Ins­tituto de Criminalística) de Mogi Guaçu.

Conforme foi apurado, Rafael de Oliveira, 23 anos, também morador em Monte Sião-MG, con­duzia o Meriva, placas DTA-5324, pela SP 147, sentido a Lindóia, tendo a companhia de Cardoso. Na altura do quilômetro 32, onde há uma curva, Oliveira perdeu o controle do veiculo, que rodou na pista e desgovernado, atingiu uma árvore. A la­teral esquerda do Meriva colidiu violentamente contra o arbusto, com o carro caindo em uma rua de acesso ao bairro da Ponte Preta.

O choque foi exatamente do lado em que se encontrava Cardoso, que acabou morrendo na hora. Oliveira recebeu ferimentos e foi socor­rido por uma unidade do SAMU ao HM, onde permaneceu internado.

Desempregado furta Titan e acaba detido pela Polícia Militar

Na manhã de quarta­-feira por volta das 8h20, o desempregado Rafael Lamin, 23 anos, quando caminha­va pela rua João de Moraes, centro, promoveu o furto da Titan, placa DHM-4380, que estava estacionada nas proximidades do cruzamento com a rua José Bonifácio e pertencia a balconista Kelly Ferreira de Sales, 30 anos. A ação foi percebida por um homem que trabalhava nas imediações e que comunicou o fato à vítima.

Tanto Kelly quanto a tes­temunha notaram Lamin descendo com o veiculo pela contramão da João de Moraes e acionaram a Polícia Militar. Houve diligências e as características do indivíduo foram passadas àqs unidades policiais. No cruzamento da rua XV de Novembro com a Comendador João Cintra, cerca de 20 minutos depois, cabo Gattei e soldado Aguiar se depararam com Lamin ca­minhando e mantendo um capacete nas mãos. As carac­terísticas e vestimentas batiam com as passadas aos policiais e o mesmo foi detido, porém a moto não foi encontrada. Lamin foi levado ao plantão policial, onde foi reconhecido pela vítima e pela testemunha como sendo o autor do furto.

Ele negou a prática, mas o delegado Fernando Zucarelli, diante das evidências, reali­zou sua prisão em flagrante. Enquanto os autos eram la­vrados pela escrivã Vanessa, Gattei e Aguiar conduziram Lamin ao HM onde passaria por exames.

No trajeto, ele acabou in­formando aos policiais que a Titan estava abandonada na rua Amazonas, no bairro do Cubatão. Os policiais se deslocaram até a via mencio­nada e defronte ao número 79 encontraram a Titan per­tencente a Kelly. Lamin foi recolhido à ca­deia pública, onde aguardará os pronunciamentos da justi­ça, enquanto que a balconista recebeu sua moto na mesma oportunidade da realização do flagrante.

Incêndio danifica casa no Braz

GMs foram acionados e esti­veram na noite de domingo na rua Henrique Tofanello, no con­junto Braz Cavenaghi. Às 19h30, moradores detectaram fumaça saindo da residência do motorista Benedito Osvado Iamarino, de 52 anos, onde perceberam também algumas chamas.

Quando os brigadistas da Defesa Civil chegaram alguns cômodos da casa já haviam sido atingidos. Algum tem­po depois e contando com a colaboração de populares, o sinistro foi controlado, mas a destruição foi visível. Segundo apurado pelos GMs Alauk e Faraco, Iamarino, bem como sua esposa, haviam saído e, na cozinha deixaram uma vela acesa, que teria caído, dando inicio ao fogo. Essa, porém, deve ter sido a causa do in­cêndio, que deixou grandes danos ao casal.

Aposentado sofre acidente  no bairro da Santa Cruz

Por volta das 12h50 de domingo, cabo Bitencourt e soldado Alexandre foram comunicados de que na ave­nida Paoletti, no bairro da Santa Cruz, havia ocorrido um acidente com vítima. Deslocando-se ao local, os policiais se depararam com o aposentado José Carlos Batista, de 60 anos, caído ao solo. Segundo consta, Mai­con Junior Barbosa, de 24 anos, seguia pela avenida, sentido Nova Itapira, com a Titan 150, placa FOX-9114. Inesperadamente, quando se aproximava de um semáforo, ele foi surpreendido por Oli­veira, que seguia no mesmo sentido com uma bicicleta. Porém, o aposentado perdeu o controle da bicicleta e entrou na frente do motociclista, que não teve tempo de desviar, vindo a ocorrer a colisão. Oli­veira sofreu ferimentos e foi encaminhado ao HM, onde permaneceu em observação. Barbosa nada sofreu.

Aposentado de 79 anos é encontrado morto com sinais de violência

 

O aposentado Orlando Caporali, 79 anos, estava desaparecido desde a manhâ de terça-feira, 21. Ele deixou a casa onde reside no bairro Nosso Teto, por volta das 11h.

Os familiares publicaram fotos e informações em rede sociais em busca de pistas que pudessem levar ao paradeiro de Caporali.Segundo Sarita Caporali, 31, filha do apo­sentado, o pai seguia uma rotina diária que consistia em sair de casa na hora do almoço e retornar por volta das 14h. Todo dia ele tratava de um cavalo em uma baia nas proximidades do pesqueiro da Vila Figueiredo. Ele ia sempre nesse horário, demorava umas duas ou três horas no máximo e voltava para casa. Essa era sua rotina todos os dias. Um boletim de ocorrência também foi registrado na Policia Civil.

Segundo a família quando saiu de casa Caporali vestia calça jeans, camisa social azul clara desgastada, chinelo e chapéu branco. Ele também costumava carregar um em­bornal com a carteira.

Na quinta-feira, por volta das 11h30, a família pediu aju­da à GM para entrar na mata próximo ao Humberto Carlos Passarella, pois havia suspeita de que o corpo de Caporali estaria no local. A equipe da GM, com ajuda do Canil, fez buscas e encontrou o corpo de Caporali com vestígios de violência principalmente no rosto. A equipe do IC (Instituto de Criminalística) de Mogi Guaçu esteve no local para a perícia.

 

“Maníaco da Pedrada” fez mais uma vítima no último final de semana

O Siena preto, que foi flagrado pelas câmeras de monitoramento

 

Fachada do imóvel na avenida Jacareí, que sofreu três ataques

 

O indivíduo que desde o pri­meiro semestre tem destruído vidraças de estabelecimentos comerciais voltou a atacar na noite do último domingo. O ataque mais recente foi re­gistrado contra a fachada do CFC (Centro de Formação de Condutores) da Auto Escola Nacional, no cruzamento da avenida Rio Branco com a rua Comendador João Cintra.

Uma câmera de monitora­mento existente nas imedia­ções flagrou o momento exato quando um carro, aparentando ser um Corsa Hatch, passa defronte ao local, desacelera e em fração de segundos a vidraça desmorona.

Os proprietários afirmaram que não chegaram a registrar B.O. Segundo estimativa, o prejuízo deverá ficar em torno de R$ 800.

Um estabelecimento co­mercial localizado na região do bairro Penha Rio do Peixe já teve prejuízo estimado em mais de R$ 6 mil. Foram cinco ataques desde o começo do ano. Duas destas ocorrên­cias foram atribuídas a um menor de idade. As outras três e o proprietário desconfia do desconhecido que já foi alcunhado de ‘maníaco da pedrada’ pela população. “A gente não tem como afirmar com certeza, mas o modus operandi é parecido com os outros relatos que ouvi”, disse ao comentar no que baseia sua suposição.

Outro empresário que investiu na construção de um prédio comercial na avenida Jacareí, perto do Tênis Clu­be, imagina que tenha sido a primeira vítima. Segundo ele foram três ataques que destruíram a área envidraçada do imóvel desde o começo do ano. A última ocorreu no final de março, num domingo. O empresário decidiu fazer por conta própria uma investiga­ção. Requisitou imagens das câmeras de monitoramento de outros estabelecimentos comerciais próximos ao prédio de sua propriedade e compa­rou com aquelas recolhidas por uma câmera instalada no seu imóvel.

Com base no material que recolheu, traçou detalhada­mente os movimentos do motorista de um Siena Preto. “Me chamou a atenção quan­do ele estaciona o carro pela primeira vez, instantes antes do ataque, nas proximidades da antiga panificadora Ki Pão, na rua Cristovão Colombo. Ele parece experimentar um utensílio, aferindo mira. Eu suspeito que seja uma besta ou algo parecido”, supõe. A besta, também conhecida como balestra ou balesta, é uma arma medieval com a aparência de uma espingar­da, com um arco de flechas acoplado no lado oposto da coronha, acionada por gatilho, que originalmente servia para atirar flechas ou dardos.

Outro comerciante que está construindo um estabe­lecimento na avenida Pao­letti acabou sendo vitimado algum tempo depois desta última ocorrência. Curioso o fato de seu estabelecimento estar localizado defronte a um outro prédio cuja área envidraçada é muito mais chamativa e que também foi alvejada. Esta última só não teve os vidros colocados abaixo porque a especificação do material impediu que isso ocorresse. O proprietário do imóvel disse que foram duas tentativas. Havia duas marcas, uma separada da outra por poucos milímetros, deixando a impressão que a pessoa que atirou, ou tinha muito boa pontaria ou se utilizou de al­gum instrumento de precisão.

Também ficou evidenciado que o maníaco usa uma esfera de aço, dessas encontradas em rolamentos. O proprietário do prédio encontrou duas delas. “Ele atirou a primeira e como não deu resultado, tentou novamente”, disse o dono do imóvel. Ele estima seu prejuízo em torno de R$ 2 mil. O proprietário do imóvel vizinho calcula que seu pre­juízo tenha sido pelo menos o dobro deste valor.

Histórico

O caso desafia a própria polícia. Uma fonte dentro da polícia civil consultada pela reportagem disse que as di­ligências sobre o caso têm prosseguido e que não é pos­sível fornecer detalhes para não prejudicar os trabalhos. O caso tem sua complexidade por vários fatores. Um deles refere-se ao histórico deste tipo de ataque. Há cerca de dois anos algumas lojas da região central foram atacadas. À época a polícia chegou a deter suspeitos que faziam o ataque para roubar produtos das lojas.

No caso mais recente, a predileção do maníaco é por estabelecimentos em constru­ção. Uma casa em construção no Jardim Santa Marta sofreu um ataque recentemente com este mesmo modus operandi .

 

Menor entrega 550 gramas de maconha a PMs

Na tarde de segunda­-feira, por volta das 15 ho­ras, cabo Emerson e sol­dados Roberto e Miguel receberam denúncia de que um individuo, usando camiseta azul e bermuda, estava comercializando drogas na rua Luis Domin­gues, no conjunto Flavio Zacchi. Os policiais foram averiguar a informação e se depararam com o ado­lescente R.H.S.,17 anos, que foi abordado. Em seu poder nada foi localizado e os policiais disseram que haviam recebido denúncia de que ele estaria vendendo drogas no local.

Tomando conhecimento de que R. residia naquela mesma rua, antes mesmo de os policiais vasculharem sua casa o menor acabou confessando que no interior da mesma havia maconha. Do imóvel R retirou um tablete de maconha com 300 gramas e outros 10 tabletes de 25 gramas cada, além de uma balança de precisão.R entregou tam­bém R$ 140 em dinheiro e acabou confessando que a droga era para o comércio. Detido, ele foi apresentado à delegada Vânia Turola Alves Cardoso.

Fonte: Da Redação do PCI

Comentários, artigos e outras opiniões de colaboradores e articulistas não refletem necessariamente o pensamento do site, sendo de única e total responsabilidade de seus autores.

Veja Também
Deixe seu Comentário
(não ficará visível no site)
* Máx 250 caracteres

* Todos os campos são de preenchimento obrigatório

593 visitantes online
O Canal de Vídeo do Portal Cidade de Itapira

Classificados
2005-2020 | Portal Cidade de Itapira
® Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste portal sem prévia autorização.
Desenvolvido e mantido por: Softvideo produções