Carregando aguarde...
Itapira, 12 de Novembro de 2019
Notícia
04/08/2010 | XI Festa della Nonna

XI Festa della Nonna

Período: de 6 a 8 de agosto de 2010

Abertura: 6 de agosto, sexta-feira, 19 h 30min

Horários: dia 6, das 19 h às 24 h, dias 7 e 8, das 11 h 30 min às 24 h.

Local: Praça Bernardino de Campos (principal), entrada livre.

Cidade de Itapira/SP

 

Segundo registros históricos, o Brasil recebeu a partir de 1870 imigrantes italianos que vieram para cá em busca de trabalho nas fazendas, com predomínio da cafeicultura. Como o trabalho escravo era bem caro e freqüentemente havia fugas, o trabalho dos imigrantes era uma solução barata para os fazendeiros. Eles entravam no país geralmente pelo porto de Santos, seguiam até a capital paulista e depois partiam para o interior.

Itapira foi uma das cidades que mais recebeu famílias de imigrantes vindos de toda parte da Itália. Em 1870/80 já exerciam alguma atividade comercial na cidade os Italianos João Batista Trani, Jacob Bolonha e João Ricardini, que são, indubitavelmente, os pioneiros da histórica jornada dos que vieram de longe, do outro lado do Oceano Atlântico, não em busca de repouso, mas de trabalho.

Os imigrantes de pouca ou nenhuma posse iam diretamente para as fazendas, muitos deles misturavam-se com os negros, ainda não libertos pela lei Áurea, que só chegaria em 13 de maio de 1888. Os que traziam algum dinheiro e tinham habilidades artesanais, além de algum preparo escolar, alojavam-se em casas alugadas e passavam a oferecer seus serviços à comunidade, como é o caso de João Batista Trani, cuja especialidade era a funilaria.

A família italiana, geralmente era formada pelo casal e vários filhos, dificilmente inferior a dez, e às vezes passando dos quinze, trabalhava arduamente, desde o romper da madrugada até a noite, com o intuito de amealhar o dinheiro para a subsistência da prole numerosa, e sendo possível, guardar alguma sobra debaixo do colchão de palha de milho.

A Nonna

A figura da nonna, avó em italiano, sempre representou a base da família. Uma das nonas homenageadas este ano na Festa della Nonna é Maria Marta Lázari Zanqueta, filha de Amélia Ferla e Antonio Lázari Filho.

Ela se lembra da história de como a família veio parar no Brasil.

“Minha mãe sempre me conta que minha bisavó, que era viúva, meu avô e duas irmãs dele vieram para o Brasil de navio, em uma viagem que durou três meses, para trabalhar no cafezal. Depois de um tempo, meu avô comprou um sítio e se casou. Ainda hoje existe a casa onde moraram, no bairro dos Coutos, perto da Ponte Nova”, lembrou.

Dona Marta é casada com Juvenal Zanqueta, mãe de quatro filhos: Sônia, Sílvia, Juvenal Jr. e Jonas, e avó de um casal: Laura Maria e Pedro Henrique de Freitas.

Outra nona a ser homenageada este ano é Elenir Cezareto Sartoreli, viúva de João Sartoreli e mãe de Jackson, Josi e João Jorge.

Tem seis netos: as gêmeas Paola e Bruna, Raquel, Rebeca, Henrique e a pequena Helena, com apenas três meses. É italiana de pai e mãe.

O avô por parte de pai, Edelmiro Cezareto, veio para o Brasil com os pais ainda criança. Mais tarde casou-se e teve nove filhos. Por parte de mãe, foi o bisavô, Pedro Sartori, quem deixou a Itália e veio para o Brasil já casado e com um filho pequeno.

“Meu avô, Alberto Sartori, trabalhava na plantação de café e aos poucos foi juntando dinheiro e comprou seu próprio sítio, o sítio Sartori, A família começou então a plantar cana e café e também a fabricar a pinga Java. Trabalhei até meus 17 anos no alambique”, relembra.

A Festa

Inspirada no Ferragosto italiano, a Festa della Nonna busca nos três dias festivos resgatar as origens italianas, a saga dos imigrantes e dos antepassados, a valorização da família e, principalmente, a importância da confraternização, dos encontros, dos bate-papos e da convivência harmoniosa das pessoas, uma característica marcante das famílias italianas. Privilegia a praça principal da cidade lotando as suas dependências, restaurando os tempos em que ela era o ponto de encontro e dos acontecimentos da cidade.

É organizada pelo Circolo Italo-Brasiliano XV de Novembro di Itapira, que cuida da estrutura, captação de recursos e dos convites aos fornecedores de alimentos e dos agentes culturais. O Circolo não explora comercialmente a festa e não aufere resultados financeiros. Investe os recursos de forma a oferecer à cidade uma festa bonita, limpa, segura, divertida e organizada. Fatores que trazem além dos moradores de Itapira, visitantes da região, de São Paulo e sul de minas.

Ao todo, serão montadas 32 tendas piramidais em “L” nas ruas defronte ao Circolo Italiano e ao Centro Comércio Indústria (Centrão), configurando a área dos fornecedores de alimentos e as praças de alimentação cobertas. Serão distribuídas 150 mesas e cadeiras pelas praças de alimentação cobertas e descobertas. Por determinação da Prefeitura, os brinquedos infantis que eram montados na parte inferior da Praça Bernardino serão montados desta vez na parte superior.

De acordo com a direção do Circolo, este ano, a Prefeitura não liberou o trecho entre as ruas Joaquim Inácio e Comendador João Cintra para a organização do estacionamento. Nesse trecho o estacionamento será livre e o controle estará a cargo da Secretaria de Trânsito. A venda de chopp e refrigerantes se dará em sete pontos diferente, buscando agilizar e facilitar o atendimento. A venda de vinho e suco de uva se dará no ponto costumeiro.

Segurança

Na expectativa de manter a área da festa livre de ocorrências policiais, o Circolo, a exemplo dos anos anteriores, terá o apoio de segurança particular especialmente contratada, treinada e munida de rádio comunicação e o suporte da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Uma brigada de dez seguranças foi treinada pelo Técnico em Segurança José Roberto Alvez Muniz no sentido de capacitá-los para o manuseio dos equipamentos e no combate a incêndio.

Nenhuma estrutura será montada na área da festa sem a apresentação da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) assinada por engenheiro responsável devidamente registrado no CREA.   Considerando o alto consumo de energia elétrica e a segurança do público e dos fornecedores, o Circolo contratou o Engenheiro Elétrico Marcelo Adorni Pereira para a execução do Projeto Elétrico, garantindo a distribuição das cargas adequadamente, aterramento e luzes de emergência no caso de falta de energia.

Outro procedimento adotado pela organização da Festa della Nonna foi a contratação do Engenheiro Mario Sergio Marconi para elaborar o Projeto Técnico de Segurança contra Incêndio.

Extintores com água pressurizada, pó químico e CO2 serão distribuídos por toda área da festa ao alcance dos brigadistas treinados.

Outro ponto que é tratado pela organização da Festa como fundamental é garantir alto nível de controle higiênico dos produtos alimentícios vendidos. Para isso, o Circolo estabelece exigência contratual no que se refere às condições operacionais de sua fabricação, manuseio, armazenamento e manipulação.  Além desses procedimentos, o Circolo solicita a fiscalização constante dos agentes sanitários, não cabendo aos fornecedores desobediência das suas determinações, sob pena de exclusão sumária da festa.

Na praça de alimentação, uma equipe de vinte pessoas é escalada exclusivamente para recolher o lixo e acomodá-los em sacos plásticos apropriados.

A Prefeitura, através do setor competente, cuida da higienização geral ao final da noite e da retirada do lixo acumulado.

Homenagens e atrações culturais

Uma festa que se chama “Festa della Nonna” não poderia deixar de homenagear as “nonnas” da nossa cidade. A homenagem acontece na missa das 17h00 do sábado, dia 7 de agosto, celebrada pelo padre Tadeu Francisco Bonetti, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha. No final da missa, as nonas serão oficialmente apresentadas através da leitura de um mini-currículo e serão também diplomadas. Durante a missa, os cânticos serão executados pelo Coral Cidade de Itapira, regido pela maestrina Marcela Cristina Pereira.

Em relação a programação cultural, este ano, diferentemente das edições anteriores, deu-se preferência às manifestações culturais italianas. Atendendo aos pedidos do público, a música italiana estará presente em mais de 80% das apresentações.

O palco será montado sob a marquise da praça, do lado esquerdo da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha. Além das apresentações de danças, teremos os shows de Tony Angeli, na sexta-feira, e Enzo Schiani, no sábado.

Mantendo a tradição, a abertura oficial da festa na sexta-feira será realizada com a presença da centenária Banda Lira Itapirense, regida pelo Maestro Mauricio Perina, associada ao Coral Cidade de Itapira e de Águas de Lindóia, regidos pela Maestrina Marcela Cristina Pereira, com 80 vozes. Na ocasião, serão executados os Hinos Nacional e Italiano e um repertório especialmente preparado para a Festa della Nonna.


www.festadanonna.com.br

Fonte: Portal Cidade de Itapira

Comentários, artigos e outras opiniões de colaboradores e articulistas não refletem necessariamente o pensamento do site, sendo de única e total responsabilidade de seus autores.

Veja Também
Deixe seu Comentário
(não ficará visível no site)
* Máx 250 caracteres

* Todos os campos são de preenchimento obrigatório

372 visitantes online
O Canal de Vídeo do Portal Cidade de Itapira

Classificados
2005-2019 | Portal Cidade de Itapira
® Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste portal sem prévia autorização.
Desenvolvido e mantido por: Softvideo produções